Vinte e Alguma Coisa

Amor não é a resposta, trabalho também não é.... A verdade é tão incompreensível que dói... Mas eu continuo me divertindo e acho que essa é a chave.. Tenho vinte e poucos e continuarei sendo a mesma coisa....

2 comentários

2 comentários :

confusão matinal

2 comentários
Minha irmã e eu usamos o mesmo toque de despertador.
Ela levanta 20 minutos mais cedo que eu.
Hoje, quando a musiquinha tocou, virei para o lado e continuei quietinha.
Ela, que demora uns cinco minutos pra levantar, levantou feito bala.

Algum tempo depois, como a musiquiha não tocou de novo, descubro que já estava meia hora atrasada. O alarme que tocou era meu.

Moral da história: Não use o mesmo toque de alarme que ninguém!

2 comentários :

Vamos aos fatos:

3 comentários
* Estou a beira de uma nova mudança de casa;

* Não consigo mais devorar um livro por semana;

* Minha concentração anda se dissipando muito rapidamente;

* Criar um site dá muito mais trabalho do que eu imaginava;

* Aula de Matemática Discreta frita meus neurônios;

* Tem uns 75 alunos na minha turma de economia;

* Meu desânimo em relação ao trabalho voltou com força total;

* Trocar ou não trocar de turma no curso de inglês tem tirado meu sono;

* Ando tão ocupada que se quer me dei conta de que o horário político começou

3 comentários :

Um comentário

Um comentário :

Entrevista de voltas de férias

Um comentário
Sempre, um mês depois que voltamos de férias, somo submetidos, aqui na 'firma' à uma entrevista de volta de férias. Segundo eles, esse é o momento perfeito para que avaliemos nossas atividades e nosso comportamento. Coisa que, no meu singelo ponto de vista, não é um medidor muito confiável, pois provavelmente, as pessoas voltaram com a cabeça descansada e acabaram por achar que nada é tão ruim quanto parece, ou talvez que tudo está muito bem, obrigada.

As perguntas, que sempre começam com o tradicional: "O que você fez nas férias?" vão deste ponto até o "o que você acha que poderia ser feito para melhorar seu ambiente de trabalho?", causam em mim um choque, do tipo "O que será que eles acham que vão descobrir com isso?", uma vez que, pelo que investiguei por aí, ninguém responde o que realmente tem vontade de responder. Gastamos uma hora, olhando para o entrevistador, imaginando respostas amenas que não chocariam e nem comprometeriam nosso passível ambiente de trabalho.

E a partir desta atitude de modelagem de respostas, veio-me a ideia: porque não abolir esse período. Perguntas como "o que te motiva a levantar cada dia e vir para o trabalho?" se respondidas não vão levar a um perfil do psicológico do pobre empregado, pois no fundo, no fundo, tem a mesma reposta: "O salário na conta no fim do mês".


Talvez, minha visão seja dura demais, ou talvez cega demais Só que ainda não enxerguei a luz que brilha no fim do túnel. O que descobri ontem, após deixar a sala de reuniões dpogestão de pessoas, foi que consegui respostas modeladas de forma amena e não chocantes, que pretendo anotar em um documento Bloco de Notas Windows e ler a cada regresso de férias, mecanicamente, sem se quer piscar, como o entrevistador que passivamente vai desfiando uma por uma as perguntas das três folhas de entrevistas.

Um comentário :

Um comentário

Um comentário :

Videonasolaringoscopia

4 comentários
Ontem, após um breve comentário sobre meu caso clínico, a médica me solta:

- Vamos fazer um exame desconfortável agora, vou jogar um remédio ardido no seu nariz e começaremos.

Após a fala, ela borrifa um jato super ardido em cada narina e enfia uma manguei com uma microcâmera em meu nariz.

Na hora, não houve dor, só uma sensação de incômodo a cada moviento que ela fazia e, para meu espanto, morro de gastura de ver partes internas do corpo humano, ia me mostrando tudo na tela de plasma.

Hoje, descobri que o remédio ardido era anestesia, e a dor está com tudo e sem previsão de término. Nunca lutei boxer, mas sinto que meu nariz está tão inchado e dolorido como ficaria o de um lutador após o término de uma luta.

E eu, adminadora da tecnologia computacional em medicina, sinto-me profundamente decepcionda. Não quero saber de mais nenhum progresso nessa área. =(

4 comentários :

crise?

2 comentários
Antes as nove eu já consumira meio drops de halls, um quarto do vidro do extrato de própolis e dois limões dissolvidos em água. Eis-me atacada de novo!

Ligo para a otorrinolaringologista e escuto:
- o horário mais próximo é dia 10, às 16:00 horas, pode marcar?

Pode! Respondo rezando para estar viva até lá.

2 comentários :

Sobre férias III

Nenhum comentário
Nada como um retrospecto das férias no primeiro dia de volta ao batente, rs.

Balanço geral: duas viagens, um livro lido, nenhum curso de férias, uma temporada de Friends vista.

Lições aprendidas:

Nunca vá com um tênis novo para uma fazenda.
Alongue-se antes de começar uma trilha em busca de uma cachoeira.
Passar a noite acordada se seu namorado tiver que pegar a estrada de madrugada causa remorso.
Não fique viciado em coca-cola.
Nem todo lugar tem pão-de-queijo.
O Rio tem lugares horrorosos.
O Rio tem lugares maravilhosos.
Não confie que seu primo saberá todos os caminhos: consulte o google sempre antes de viajar.
Prestar atenção nas estradas Rio-Minas é assustador.
As pessoas dormem em viajem, mesmo durante o dia, e sim, elas também roncam.
E a principal: por mais que você aproveite, as férias sempre passam voando

Nenhum comentário :