Vinte e Alguma Coisa

Amor não é a resposta, trabalho também não é.... A verdade é tão incompreensível que dói... Mas eu continuo me divertindo e acho que essa é a chave.. Tenho vinte e poucos e continuarei sendo a mesma coisa....

Diminuindo

4 comentários
Ela é dessas que coloca os fones de ouvido. Coloca-os para fugir do barulho do trânsito, para não ouvir a conversa paralela dos passageiros do ônibus, coloca para não escutar o papo dos 15 homens com quem trabalha, coloca, até mesmo, para não ouvir algumas brigas entre mãe e irmã em casa.

Entre essas "fugas", sempre teve a sensação de que precisava aumentar cada vez mais o volume dos aparelhos para ouvir a música. Principalmente quando a música é boa. Já chegou ao cúmulo de ouvir músicas no último volume no silêncio de seu próprio quarto.


Outro dia, surpreendeu-se ao chegar no trabalho e constatar que o volume do som estava somente 1 acima do mínimo. Será que fora ela mesmo que viera escutando música? E apartir deste dia, decidiu-se que agora é adepta do volume mínimo. Claro que ainda sente vontade de aumentar tudo quando uma música boa toca, ou quando as conversas ficam mais altas que o som dos fones, mas anda resistindo bravamente. Será que seus ouvidos agradecem?

4 comentários :

waterfall disse...

Nada é definitivo, nem mesmo o volume do som dos fones. Os meus vão subindo ou baixando conforme as situações. Assim terão de ser os seus. Mas o melhor é nem ter que os usar e ouvir música de ouvidos destapados. :)

Maíra disse...

Certamente não usa-los é minha vontade Waterfall, mas ainda fico escrava daquela máxima: "Seu direito termina onde o do outro começa".

waterfall disse...

É isso aí! por isso gosto quando estou sozinho no escritório. :))

Maíra disse...

;)